Investigador doutorado

Publicado 06 Dezembro 2018

Universidade Lusófona

Lisboa (Administração / Secretariado)


I ? Objecto e Âmbito do Concurso

1 - Abertura de Concurso

A COFAC, Cooperativa de Animação e Formação Cultural crl, abre concurso de seleção para a contratação de um investigador doutorado, correspondente ao nível 33 da Tabela Remuneratória Única, nos termos da legislação aplicável, em regime de Contrato de Trabalho a Termo Incerto, no âmbito do projecto FEMOFFENCE - The myth of innocence: A mixed methods approach toward the understanding of female sexual offending behavior, com a referência PTDC/PSI-GER/28097/2017, apoiado através de fundos nacionais inscritos no orçamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) e desenvolvido na unidade de investigação HEI-Lab.

2 - Plano de Trabalhos a Desenvolver

O(a) investigador(a) doutorado(a) irá desenvolver as suas actividades no âmbito do projecto supra-mencionado, mais concretamente ao nível de: 1) organização dos protocolos de avaliação e respectiva implementação junto das entidades judiciais envolvidas no projecto, 2) organização da logística ao nível dos procedimentos éticos, implementação e disseminação social e científica, 3) processamento e análise dos dados qualitativos, quantitativos (incluindo experimentais) resultantes da implementação das tarefas associadas ao projecto, 4) redação da escrita científica e directrizes clínico-forenses para a intervenção junto das populações alvo do projecto, 5) logística e apoio às actividades formativas previstas no projecto.

Palavras-chave: Agressoras(sexuais), avaliação clínico-forense, percepções sociais, resposta emocional

3 - Condições contratuais

1. O provimento do lugar de investigador doutorado a concurso efectiva-se através de contrato de trabalho a termo incerto, nos termos do Decreto-Lei nº 57/2016, de 9 de Agosto, alterado pela Lei nº 57/2017, de 19 de Julho, e do Código do Trabalho.
2. Constituem actividades a desenvolver no exercício daquele lugar as previstas no âmbito do projecto de investigação aludido no artigo anterior.
3. O contrato a realizar tem o inicio previsto para 1 de Março de 2019.
4. As actividades contidas no objecto do contrato de trabalho têm lugar nas instalações da Universidade Lusófona em Lisboa, ou nos locais que se afigurem necessários à execução do plano de investigação.
5. A remuneração base ilíquida mensal a atribuir é de 2.128,34 Euros de acordo com a alínea a) do n.º 1 do artigo 15.º da Lei nº 57/2017, de 19 de julho, e com a primeira posição remuneratória do nível inicial previsto no artigo 2.º do Decreto Regulamentar n. 11-A/2017, de 29 de Dezembro, correspondente ao nível 33 da Tabela Remuneratória Única, aprovada pela Portaria n.º 1553-C/2008, 31 de dezembro.
6. Este contrato ressalva a política de não discriminação e de igualdade de acesso.

II ? Condições e Candidaturas

4 - Lugar a preencher e condições de abertura de concurso

1. Visa o concurso o recrutamento de um investigador doutorado, em regime de contrato de trabalho a termo incerto, no âmbito do projecto PTDC/PSI-GER/28097/2017.
2. Podem candidatar-se ao lugar a concurso investigadores doutorados nacionais, estrangeiros e apátridas.
3. Cumulativamente, deve o candidato apresentar o seguinte perfil académico:
a. Ser titular do grau de doutor em Psicologia Forense ou área científica afim, revelando capacidade de trabalho adequada à actividade a desenvolver, integrado em equipa multidisciplinar;
b. Deter experiência de investigação e desenvolvimento no domínio do perfil psicológico (foco personalidade e psicopatologia) em populações de agressores condenados;
c. Deter experiência na avaliação clínico-forense e intervenção psicológica junto de agressores condenados, em articulação com as entidade judiciais competentes;
d. Capacidade de escrita e divulgação científica comprovada pela publicação de artigos científicos na área de interesse do projecto, em primeira autoria e em revistas indexadas em primeiro quartil;
e. Capacidade na análise de dados comprovada e com recurso a SPSS
f. Domínio falado e escrito da língua Portuguesa

4. Na eventualidade do candidato ser titular de doutoramento conferido por instituição de ensino superior estrangeira, devem as formalidades requeridas pelo Decreto-Lei nº 341/2007, de 12 de Outubro, encontrar-se observadas até ao termo do prazo para apresentação das candidaturas.

5 - Competência e abertura do procedimento concursal

1. É da competência da Direcção da COFAC ? Cooperativa de Formação e Animação Cultural, crl, entidade instituidora da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, autorizar a abertura do presente concurso.
2. A publicitação do procedimento concursal observa o estabelecido pelo artº 11º do Decreto-Lei nº 57/2016, de 29 de Agosto.

6 - Prazo

O prazo para a apresentação das candidaturas é de 20 dias úteis, com início a partir de dia 10 Dezembro, 2018, e termo a 8 de Janeiro de 2019.

7 - Admissão das candidaturas

1. O interessado no concurso dirige o requerimento à investigadora responsável Joana Carvalho, mediante o envio por ?email?, em formato ?PDF?, para o endereço de correio electrónico joana.pereira.carvalho@ulusófona.pt, dos documentos seguintes:
a) Carta de apresentação referindo as motivações que justificaram a candidatura;
b) Curriculum ?vitae? mencionando a experiência profissional e científica na área de interesse do projecto, acompanhado de uma relação das publicações científicas produzidas;
c) Certificado do doutoramento;
d) Identificação e carta de referência com os respectivos endereços de ?email? ? de, pelo menos, duas personalidades académicas que atestem o currículo exibido;
e) Outros documentos considerados relevantes pelo candidato e que, na sua perspectiva, se afigurem pertinentes para comprovar e avaliar o respectivo percurso científico e profissional.
2. Com exclusão dos elementos mencionados na al. e), a inobservância, por parte do interessado, de qualquer dos requisitos enunciados no número anterior determina a rejeição liminar da candidatura.
3. As falsas declarações prestadas pelos candidatos serão punidas nos termos da lei.

III ? Júri

8 ? Composição

O júri do concurso, composto por três membros, é nomeado pela Direcção da COFAC, crl.

9 - Designação

Nos termos do artigo precedente e, bem assim, do estabelecido pelo artº 13º do Decreto-Lei nº 57/2016, de 29 de Agosto, designam-se membros do júri:

Presidente ? (Pedro Gamito, professor catedrático director HEI-Lab);

Vogal ? (Joana Carvalho, professora auxiliar de Psicologia);

Vogal ? (Ana Loureiro, professora auxiliar de Psicologia).

10 - Competências

1. Compete ao júri nomeado proceder à apreciação das candidaturas.
2. De todas as reuniões do júri serão lavradas actas contendo a descrição dos assuntos debatidos, bem como, os votos emitidos por cada um dos membros e os fundamentos das deliberações tomadas.

11 - Método de selecção

1. As candidaturas admitidas a concurso são avaliadas tomando em consideração a qualidade, actualidade e relevância dos currículos científico (produção científica e experiência de investigação) e profissional dos interessados, bem como a respectiva adequação ao plano de trabalhos proposto. A avaliação do percurso científico e curricular tem 3 componentes, nomeadamente:
2. Produção científica; esta componente da avaliação é expressa numa escala numérica de 0 a 20, tendo em conta:
  • A produção científica dos(as) candidatos(as), nomeadamente em artigos em revistas científicas incluídas no Journal Citation Report do ISI Web of Knowledge ou SCOPUS e à sua relevância na área para a qual o concurso é aberto (ponderação 40%);
Experiência profissional; esta componente da avaliação é expressa numa escala numérica de 0 a 20, tendo em conta:
  • Experiência no âmbito de equipas de trabalho, experiência formativa, e de articulação com instituições relevantes no âmbito do projecto (ponderação 40%)
Entrevista presencial; esta componente da avaliação é expressa numa escala numérica de 0 a 20, tendo em conta:
  • Enquadramento da actividade científica do candidato e articulação com estudos futuros, capacidade de discussão e argumentação, conhecimento científico demonstrado na área de interesse do projecto e capacidade de comunicação (ponderação 20%).

3. A classificação final de cada candidato(a) é obtida pela soma das pontuações dos elementos do júri, divididas pelo número de elementos do júri. O sistema de classificação final dos(as) candidatos(as) é expresso numa escala de 0 a 20 Em caso de empate, a decisão final será da responsabilidade do presidente do júri.

4. Concluídas as fases de selecção, o júri elabora, no prazo máximo de 20 dias úteis, uma acta em que figura a decisão final, a lista ordenada dos candidatos aprovados, com a respectiva classificação final, bem como uma descrição sumária do processo de recrutamento, avaliação e selecção empreendido.

12 - Audiência prévia

Expressa a deliberação final do júri, a que se refere no nº 5 do artigo anterior, notificam-se os interessados para, no exercício do direito de audiência prévia previsto pelo Código do Procedimento Administrativo, poderem, no prazo de 10 dias úteis, pronunciar-se a seu respeito.

13 - Homologação

Decorrido o prazo para o exercício do direito de audiência prévia, é a deliberação final do júri homologada pelo Presidente da Direcção da COFAC, crl., a quem compete, também, decidir sobre a contratação do candidato seleccionado.

14 - Publicidade

A lista dos candidatos admitidos e excluídos, bem como as respectivas classificações finais são afixadas nas instalações da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, na Avenida do Campo Grande, nº 376, em Lisboa, e, bem assim, na página electrónica www.ulusofona.pt , sendo os candidatos notificados por ?email?.